JavaScript não suportado

 

Pesquisadores acompanham nascimento de jacarés em monitoramento pioneiro no NE

jacaré recém-nascido junto a ovo

jacaré nascido Pesquisadores da UFRPE acompanham, durante esta semana, o nascimento de jacarés-de-papo-amarelo (Caiman latirostris) na Estação Ecológica de Tapacurá, resultado de ação pioneira de monitoramento a longo prazo das populações de crocodilianos no Nordeste. Monitorados desde a reprodução à eclosão com ações de captura, medição, técnicas e utilização de câmeras especiais, os jacarés escolheram a área com remanescentes de Mata Atlântica protegida para a temporada reprodutiva.

Os pesquisadores do Projeto Jacaré UFRPE – Ecologia e conservação de crocodilianos na Mata Atlântica de Pernambuco – acompanham e registram todo o processo da incubação dos ovos, do cuidado parental das fêmeas até a eclosão dos filhotinhos, que já iniciou na última terça-feira (26/04).

Durante o acompanhamento, também foi possível registrar a presença de visitantes interessados nos ovos, como jaguatirica, capivara, paca, tatu, cutia, entre outros.

Com duração média de 60 dias de incubação, os jacarezinhos estão eclodindo dos ovos com ajuda do chamado “dente de ovo”, uma protuberância temporária presente em alguns vertebrados ovíparos para facilitar a saída do ovo.

Alguns têm a ajuda da mãe e outros vão por conta própria para os corpos hídricos mais próximos. Os ninhos estão em áreas escolhidas pelas fêmeas para garantir a proteção dos ovos, que, após eclosão, podem chegar em segurança nas áreas creche ou berçário. Essas áreas fornecem alimento e abrigo para os filhotes, que terão proteção garantida de suas mães e tias durante alguns meses de vida.

O estudo é conduzido pelo pesquisador de doutorado do Programa de Biodiversidade da UFRPE Rafael Sá Leitão Barboza, que acompanha os ninhos durante todo o período de incubação usando procedimentos padrões de coleta de dados em estudos com ninhos de crocodilianos no mundo inteiro – localização e acompanhamento dois ninhos para investigar as influencias ambientais na preferência das femeas, cuidado parental, sucesso de eclosão, bioacústica dos filhotes, predação/armadilhas fotográficas e temperatura de incubação/termômetros remotos. O doutorando é orientado pela professora Nicola Schiel (UFRPE) e coorientado pelos professores Jozélia Correia (UFRPE) e Antonio Souto (UFPE). O título do projeto de pesquisa é: Da ecologia reprodutiva ao conhecimento ecológico local de um crocodiliano, o jacaré-de-papo-amarelo (Caiman latirostris).

O Projeto Jacaré é desenvolvido pela equipe do Laboratório Interdisciplinar de Anfíbios e Répteis (LIAR) da UFRPE, sob coordenação das professoras Jozélia Correia e Ednilza Maranhão. Por meio dele, são desenvolvidas ações de ensino, pesquisa e extensão universitária, voltadas para conservação da herpetofauna e formação de recursos humanos na área de herpetologia, auxiliando na formação de alunos de graduação e pós-graduação e capacitação de profissionais.

Segundo a professora Jozélia Correia, a ação pioneira de monitoramento é bastante relevante para os estudos e conservação sobre os crocodilianos, cujas pesquisas e informações apresentam déficit na região.

A linha de pesquisa relacionada à biologia e ecologia reprodutiva teve início em 2018, na Estação Ecológica de Tapacurá, vinculada à UFRPE, e no seu entorno. É uma área com remanescentes de Mata Atlântica inseridas em áreas protegidas e composta por propriedades privadas – onde são realizadas atividades de agricultura, pesca, criação extensiva de gado e caprino.

equipe no ninhoequipe noturna para captura

 

Vídeos e Documentários

  • Aula Inaugural dos cursos de graduação
  • Reunião UFRPE/UFRN com diretorias de departamentos e unidades acadêmicas sobre o SIGAA
  • Reunião UFRPE/UFRN e discentes de graduação sobre o SIGAAA
  • Reunião UFRPE/UFRN sobre o SIGAA - Coordenação de Curso
  • Meio Ambiente, Moradias e Mobilizações Urbanas e Periurbanas